Nacional

‘Foi Ronaldo que ditou o fim de Fernando Santos na Seleção’

Cristiano Ronaldo e Fernando Santos no banco de suplentes

No programa desportivo da CMTV, Vítor Pinto procedeu à análise da saída de Fernando Santos do comando técnico da Seleção Nacional.

O jornalista da estação da Cofina, a saída do agora ex-selecionador é demonstrativa da falta de convicção no seu trabalho.

Esta é uma rutura que se calhar revela que a convicção no trabalho do selecionador não era assim tão profunda e tão sólida como nos faziam eventualmente querer, porque Portugal chega aos quartos de final e de repente, percebe-se logo a seguir à eliminação, que Fernando Santos estava a mais neste projeto, que já não havia a mesma convicção e crença e que não existiria condições para que continuasse, redondando neste divórcio“, afirmou.

Veja também: Mau ambiente no Mundial: ‘Jogadores da Seleção estão fartos de Ronaldo’

Vítor Pinto não tem dúvidas de que esta era uma decisão que há muito esta tomada e aponta ainda para a incoerência do comunicado da FPF a anunciar a saída de Fernando Santos.

Aquilo que parece e dá a ideia com o desenrolar do processo é que, provavelmente, antes ou durante o Mundial, já existia um plano B. Já alguém estava a pensar o que seria o futuro da Seleção e custa mesmo a querer que a Federação Portuguesa de Futebol, que é uma entidade supra-clubística, que deve estar à margem daquilo que são as pequenas questões do futebol português, neste caso acaba por ser envolvida no tipo de polémica que normalmente é criticada no futebol nacional. É muito difícil engolir este comunicado que diz que é tudo fantástico, com um grande percurso no Mundial e um grande trabalho e depois ‘reunimos, conversamos e achamos que não havia condições para continuar’“, referiu.

Para o comentador, a principal razão para a saída de Fernando Santos chama-se Cristiano Ronaldo.

Se fez um grande trabalho, se há confiança absoluta entre as partes, então qual é o problema? É que todos sabemos qual é o problema. O problema é que há um elefante enorme no meio da sala e parece que não querem que ninguém veja o que se está a passar. Todos percebemos o que se está a passar. Foi o conflito com o Cristiano Ronaldo que ditou o fim de Fernando Santos à frente do comando da Seleção Nacional. E a partir daqui Fernando Gomes puxou também o tapete a Fernando Santos e vamos ver que ciclo é que vai ser aberto“, disse.

Veja também: Tensão como nunca se viu entre Ronaldo e Jorge Mendes

Vítor Pinto entende que Rui Jorge é o homem ideal para assumir a Seleção Nacional, apesar de José Mourinho ser o favorito.

Eu gostaria que fosse um ciclo com Rui Jorge, apostando em gerações mais jovens. O Rui Jorge, nos últimos 10 anos, fez crescer vários jovens gerações, muitas delas consolidadas na Seleção principal e era uma opção com risco, evidentemente, mas que demonstrava que tinha um homem dentro da FPF capaz de dar uma nova roupagem ao futebol que a Seleção Nacional pratica. A opção, pelos vistos, vai ser por José Mourinho“, frisou.

Por último o jornalista e comentador considera ser desconfortável colocar Rui Jorge na posição de treinador-interino, até Mourinho assumir o lugar.

O que eu não gostaria de ver, porque isso acho que seria desconfortável para todas as partes, era o Rui Jorge ser obrigado a fazer jogos com o Liechtenstein e o Luxemburgo, à espera que José Mourinho chegasse. Essa experiência aconteceu a seguir ao Mundial 2010, com Agostinho Oliveira acabou por fazer dois jogos com os péssimos resultados que se conhecem. Não é que estejamos com receio de perder os jogos com o Liechtenstein e o Luxemburgo, mas era importante que o novo ciclo, com 10 jogos de apuramento em seis meses, começasse já com o selecionador que vai liderar o novo ciclo à frente da Seleção. E agora esse é um problema que Fernando Gomes e a FPF terão de resolver rapidamente”, concluiu.

Veja também: Francisco J. Marques denuncia ex-dirigente da Liga: ‘Estava ao serviço do Benfica’

Deixe uma resposta