Nacional

Francisco J. Marques denuncia ex-dirigente da Liga: ‘Estava ao serviço do Benfica’

Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto

Na sessão desta 5ª feira do julgamento da divulgação dos emails, Francisco J. Marques teceu duras críticas ao antigo presidente da Liga Mário Figueiredo entre 2012 e 2014.

Veja também: Tensão como nunca se viu entre Ronaldo e Jorge Mendes

O diretor de comunicação do FC Porto foi confrontado com uma troca de emails entre Paulo Gonçalves e Mário Figueiredo sobre Nuno Cabral. O antigo delegado da Liga queixou-se ao antigo assessor jurídico do Benfica sobre o facto de fazer jogos do Chaves. Paulo Gonçalves enviou então um email a Mário Figueiredo, questionando se Cabral era “feito ou incompetente” dado o facto de estar em palcos com pouca visibilidade.

O então presidente da Liga respondeu a Paulo Gonçalves: “Ele vem fazer um jogo aqui ao Porto. Só tens de me dizer“.

Para J. Marques, sem a ajuda de Mário Figueiredo, o Benfica não teria conquistado o tetracampeonato.

Fica muito evidente a subserviência da Liga de Clubes ao Benfica. O presidente da Liga tem dever de igualdade, equidistância para com os clubes que participam nas competições profissionais. Ali fica evidente, claro, que o Mário Figueiredo estava ao serviço do Benfica. Se não há interesse público em revelar uma coisa destas, então o interesse público não existe. As pessoas nunca iriam assumir isto. Fica evidente que às escondidas de toda a gente havia troca de mensagens que deixava claro que Mário Figueiredo estava ao serviço do Benfica e isso tem repercussões em tudo, nomeadamente, nas competições desportivas. O período de maior sucesso de Benfica, que nunca tinha sido tetracampeão, começou nesse período“, afirmou Francisco J. Marques.

Veja também: Marroquino atira água a Ronaldo e quase acaba agredido por adeptos (Vídeo)

O diretor de comunicação azul e branco também criticou duramente Carlos Deus Pereira, antigo presidente da Mesa da Assembleia Geral da Liga, por ter partilhado com Pedro Guerra mensagens trocadas com Fernando Gomes, presidente da FPF.

O que está em causa é alguém de um clube ter acesso às mensagens do presidente da Liga e que entretanto passou a presidente da FPF. Tivemos ainda um comportamento incorreto de um presidente da mesa da AG da Liga que vai revelar as decisões que- se tomaram na Liga. As decisões eram primeiro anunciadas ao Benfica. Parecia-me muito mal. A mim e a qualquer pessoa“, referiu.

Francisco J. Marques voltou a visar Nuno Cabral pelo facto de ter partilhado com Paulo Gonçalves o recurso do árbitro João Pinheiro a reclamar de uma nota de uma partida.

Um árbitro recorrer de uma nota é normal, pois há sempre a possibilidade de recurso, o que não é normal é este circuito. Acaba sempre tudo no Benfica. Passava pelo Benfica o recurso dos árbitros porquê? Não faz sentido nenhum. O árbitro pode ter enviado só para partilhar a informação, mas no mínimo o comportamento do Nuno Cabral é questionável, pois envia para o Benfica e não o pode fazer. Sabemos que Nuno Cabral enviava para o Benfica e não pode“, concluiu.

Veja também: Vizinhos incomodados com mansão de luxo de Ronaldo: ‘O dinheiro não compra tudo’

1 comentário

  • Como agora ao fim de 6 anos estão a ser TODOS chamados a máfia dos vendidos bandidos parasitas agora querem fugir sacudir o pacote obrigação responsabilidade para outros como disse várias vezes esta máfia rede corrupta SAD Benfica tem um exército organização poderosa são mais de 250 crimes imaginem quantas pessoas importantes ilustres estão conectados relacionados unidos desta operações criminosas no futebol português pensem?

Deixe uma resposta