InternacionalVídeos

Argentina conquista o Mundial em final épica frente à França (Vídeo)

Lionel Messi e Ángel Di María na final do Mundial entre Argentina e França

A Argentina conquistou o terceiro Mundial da sua história, ao vencer a França por 4-2 nas grandes penalidades, depois do empate a três bolas após prolongamento.

Veja também: O aviso de Félix aos portugueses após saída de Fernando Santos

Os argentinos alinharam com Emiliano Martínez, Molina, Romero, Otamendi, Acuña, De Paul, Enzo Fernández, Mac Allister, Di María, Messi, Julián Álvarez.

Já os franceses apostaram em Lloris, Koundé, Varane, Upamecano, Theo Hernández, Tchouaméni, Rabiot, Griezmann, O. Dembélé, Mbappé, Giroud.

Lionel Messi inaugurou o marcador aos 23 minutos através da conversão de uma grande penalidade, a castigar uma falta de Ousmane Dembelé sobre Angel Di Maria.

Veja também: Peixeirada em direto entre Pedro Guerra e Jorge Amaral: ‘Qual é o teu problema?’ (VÍDEO)

Di María ampliou a vantagem argentina aos 36 minutos. Transição sensacional. Molina toca para Mac Allister e este de primeira para Messi. O capitão domina e com a parte de fora do pé serve Alvárez e este lança Mac Allister. O médio cruza e Di María finaliza na cara de Lloris.

Veja também: Jornalista da Sport TV solta palavrão em direto ao falar do Sporting (Vídeo)

Aos 80 minutos a França reduz para 2-1 por Kylian Mbappé, através da conversão de uma grande penalidade, a castigar uma falta de Otamendi sobre Kolo Muani.

Aos 82 minutos Kylian Mbappé bisa no jogo e empata a partida. Coman desarma Messi e toca para Rabiot. Este pica, Mbappé tabela com Thurram e remata, de primeira para o fundo da baliza argentina.

Veja também: A reação de Amorim à eliminação do Benfica da Taça da Liga

Aos 109 minutos Lionel Messi voltou a colocar a Argentina na frente do marcador. Lautaro ganha, Messi toca para Enzo e este pica para Lautaro! O avançado remata, Lloris faz uma enorme defesa e o capitão argentino marca na recarga.

Aos 118 minutos Kylian Mbappé voltou a empatar a partida a três bolas, através da conversão de uma grande penalidade, a castigar uma mão na bola de Montiel.

Nas grandes penalidades a Argentina foi mais forte convertendo quatro contra duas dos franceses.

Deixe uma resposta