Nacional

Rúben Amorim foi claro: ‘É essencial vencer o Marítimo e o Benfica’

Rúben Amorim em conferência de imprensa de antevisão a um jogo do Sporting

Na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Marítimo, Rúben Amorim lembrou as dificuldades que o Sporting irá encontrar nos Barreiros e ainda as hipóteses de Tanlongo ir a jogo.

Em relação ao Tanlongo, é um jovem com muito potencial que tem vindo a jogar num campeonato onde não há muita pressão, numa equipa que não sendo das maiores era importante. Já tem experiência. É um médio defensivo, muito inteligente, intenso e que apanhou rápido as ideias. Não senti que tivesse grande dificuldade em acompanhar os rapazes. Estamos muito contentes. Vai ser já convocado, mas sabemos que estes jogadores podem demorar algum tempo a aparecer. Tem de competir com os nossos da formação. É mais um para a luta e depende mais dele do que de mim. Em relação ao Marítimo, podemos tirar algumas conclusões. Já jogou com linha de cinco mas a construir com quatro, também já jogaram com três centrais… Têm o Leo Pereira, que é um jogador muito rápido, o Xadas pode vir para dentro… Tentámos ao máximo retirar essas caraterísticas para preparar o jogo“, afirmou.

No que diz respeito ao mercado de transferências, o técnico leonino garante que o clube está atento a oportunidades de negócio. No entanto, a prioridade é apostar na prata da casa.

Vamos vendo as oportunidades que há, as características dos jogadores da formação. Temos o Rodrigo Ribeiro para avançado, o Chermiti, o Gabriel [Silva] poderá aparecer daqui a uns anos. Se alguns jogadores não agarrarem o lugar isto é tudo muito rápido. Temos de olhar para os jogadores que há fora, principalmente mais jovens”, referiu.

O treinador do Sporting pronunciou-se ainda sobre as possíveis saídas de Marcus Edwards e Pedro Porro, que estão a ser cobiçados pelo Tottenham.

Não tenho medo de nada. Temos de ter noção do momento do clube. Estamos a crescer como campeonato, não somos uma liga tão atrativa como outras e não conseguimos pagar certos ordenados, temos essa dificuldade. Já fizemos coisas iguais no passado. Falamos muito do Matheus Nunes, mas o Sarabia no ano passado esteve envolvido em 26 golos. Perdemos esses golos, não tivemos qualquer contrapartida financeira e não podemos viver assim. Quando perdemos um jogador assim, temos de receber dinheiro para refazer a máquina. Sabemos a quantidade de ataques que passam pelo Porro e pelo Marcus, ninguém é ceguinho aqui mas o mercado é como é. Como foi dito, saem apenas pela cláusula. Estão muito contentes no Sporting e é continuar e ganhar ao Marítimo”, disse.

Amorim destacou ainda a importância dos próximos dois jogos para as aspirações do Sporting para o que resta da temporada.

Estou a pensar no Marítimo, não no outro jogo a seguir. Temos de vencer o Marítimo e depois lutar frente ao 1.º classificado. Não fugindo à questão, sabemos que é essencial vencer os próximos dois jogos. Não podemos perder pontos porque depois torna-se muito difícil, não só para o título como para os lugares de Liga dos Campeões. Falando apenas do Sporting, é crucial que vença o Marítimo primeiro e depois os outros jogos“, concluiu.

Deixe uma resposta