Nacional

Lage: “Quem marca dois golos no Dragão não pode sair sem pontos”

Na conferência de imprensa de antevisão ao jogo como o Famalicão, a contar para a 2ª mão das meias-finais da Taça de Portugal, Bruno Lage foi bastante questionado sobre o clássico diante do FC Porto.

As águias têm sofrido mais golos nas últimas partidas, algo que Lage já está a corrigir.

“Não é uma questão individual, não é uma questão da nossa linha defensiva, mas sim uma questão coletiva. Passa por vencer os jogos individuais. Não basta termos a intenção de pressionar, mas também de bloquear as saídas do adversário“, disse.

O treinador aproveitou também para esclarecer as suas declarações após o clássico, em que afirmou que o Benfica havia saído do Dragão sem pontos e sem dentes.

Foi apenas para referir que o Adele perdeu um dente. Há dois tipos de agressividade, positiva nos jogos individuais, que é o que pretendemos, com bola ou sem bola; depois qualquer jogo que é agressivo e que passa a lei, para isso estão lá os árbitros. Saímos sem pontos e com menos um dente“, explicou.

Benfica previsível e um Famalicão perigoso

Olhando para a partida com o Famalicão, ambas as equipas partem para esta partida vindas de derrotas. Contudo Lage considera que as mesmas não terão influência na partida de amanhã.

“Não tem peso nem para um lado nem para outro. São competições diferentes, as equipas encontraram-se há menos de uma semana, estão em pé de igualdade porque esta diferença de 3-2 não nos dá garantias de nada. O resultado não belisca a intenção de seguir em frente na Taça de Portugal. No nosso lado sinto vontade de jogar bem, principalmente sem bola. Nos últimos jogos temos sofridos alguns golos que nos levam a olhar para um jogo ofensivo com uma qualidade inegável, mas depois percebemos que sofremos 3 golos. Não é fácil marcar golos no Dragão e nós conseguimos isso por duas vezes. Quem marca dois golos naquele estádio tem de sair de lá com pontos“, considerou.

A previsibilidade do Benfica também foi um tema dissecado pelo técnico nesta conferência de imprensa.

Em termos ofensivos não. Eventualmente houve um momento da época em que sim. Entre outubro e o princípio de dezembro. As indicações que a equipa tem dado em dezembro e janeiro mostram que consegue reinventar-se em função dos sistemas do adversários e dos espaços que o adversário oferece. Durante um ano conseguimos esconder os nossos problemas. Por que estão mais visíveis? Porque dão golos. Também temos pontos onde somos menos bons, durante muito tempo escondemos isso, neste momento as mesmas situações dão golo e por isso é mais visível. Mas, não havendo espaço para treinar no campo, há espaço para treinar no auditório a ver a imagens e a refletir. Independentemente do resultado”, referiu.

Por último Lage destacou as qualidades do Famalicão, apesar da pesada derrota que sofreu na última jornada diante do V. Guimarães (0-7).

Esta equipa foi construída um pouco de base e pode ser um misto da ideia do treinador e da construção dos jogadores em função das suas ideias. Coloca muita gente na linha da bola, dois médios em profundidade, coloca os dois médios na largura… São dinâmicas que não são muito usuais e que temos de contrapor. É uma equipa muito competente em termos de construção, de conduzir o jogo como bem entende. E nós, nos dois jogos em casa, tentámos anular da melhor maneira. Agora, é manter o que temos vindo a fazer contra eles”, concluiu.

Deixe uma resposta


Notice: Trying to get property 'guid' of non-object in /home/adeptosdebancada/public_html/wp-content/themes/newsmax-child/single.php on line 16