Nacional

Fábio Silva revela ameaças de dirigentes: ‘Fui obrigado a sair do FC Porto’

Fábio Silva nos tempos em que representava o FC Porto

Em entrevista ao site espanhol Relevo, Fábio Silva revelou os contornos que levaram à sua saída do FC Porto para o Wolverhampton em 2020.

Veja também: Conceição estica a corda e Marselha está cada vez mais impaciente

O avançado, que esta temporada jogou nos escoceses do Rangers FC por empréstimo dos wolves, revela que não queria sair do Dragão mas que quase foi obrigado a tal.

-

Sabia que não era o momento. Não era minha intenção ir para o Wolverhampton nesse momento, queria ficar mais um dois anos no FC Porto. Fui quase obrigado. Disseram-me que, se não fosse, me colocariam jogar na equipa B, que se não fosse não ajudaria o clube porque estava sem dinheiro… Não tive escapatória. Tinha 18 anos e tinha terminado a minha primeira época completa, mas jogava apenas 15-20 minutos. Queria ficar no meu clube, no FC Porto, para ter um impacto maior“, afirmou.

Fábio Silva também abordou negócio e os interesses envolvidos.

Tinha outros clubes interessados, mas tudo apontava para que eu assinasse pelo Wolverhampton. Havia mais gente envolvida na transferência. Investiam mais dinheiro, mas no futebol acontecem coisas nos bastidores que não controlamos. Foi melhor para todos do que para mim“, referiu.

Veja também: Francisco Conceição pode deixar o FC Porto e a preço de saldo

Olhando para o futuro, o jovem português assume que não pretende regressar ao Wolverhampton, clube com o qual tem contrato válido até 2025.

Não é segredo e o clube também concorda. Agora temos de tentar encontrar a melhor solução“, atirou.

Sobre os sucessivos empréstimo em que esteve recentemente, nomeadamente, ao Anderlecht, PSV e Rangers FC, Fábio Silva considera que a experiência foi benéfica para o seu crescimento.

“Não é bom estar sempre a mudar de país. O Rangers tornou-me mais completo, joguei num posição diferente, marquei golos, senti-me bem. Antes só jogava como 9, agora posso jogar em todas as posições do ataque. Aprendi a gerir melhor as minhas emoções. Quando tinha 18 anos, saía de um jogo e queria ver aquilo que estavam a dizer sobre mim nas redes sociais. Agora sei quando faço as coisas bem ou mal, sei ser autocrítico“, disse.

Veja também: Futuro da filha de Pinto da Costa no FC Porto já está decidido

Na mesma entrevista, Fábio Silva revelou que Cristiano Ronaldo é o seu maior ídolo.

Gosto de futebol por causa dele. Bateu tantos recordes e continuar a ter fome de fazer sempre melhor. É uma loucura o Cristiano, admiro-o muito“, concluiu.

O Adeptos de Bancada já está no YouTube com vídeos imperdíveis! Vai ficar de fora? Junte-se ao nosso 11 e subscreva o nosso canal aqui!

Deixe um comentário