Nacional

Comunicado forte do FC Porto desmente C. Arbitragem após apagão do VAR

Taremi, do FC Porto, em disputa de bola com um jogador do Arouca.

O FC Porto emitiu um comunicado a pronunciar-se sobre a polémica em torno do VAR, na partida com o Arouca.

Veja também: Europa inteira goza com Portugal por causa do FC Porto-Arouca

Os dragões desmentem o Conselho de Arbitragem, que garantiu que a falha no VAR ficou a dever-se à descarga da bateria. O FC Porto apontam responsabilidades aos técnicos da Altice e dizem-se alheios dos problemas técnicos da montagem dos equipamentos.

-

O Adeptos de Bancada já está no YouTube com vídeos imperdíveis! Vai ficar de fora? Junte-se ao nosso 11 e subscreva o nosso canal aqui!

Veja também: Novas revelações polémicas sobre o apagão do VAR no Dragão

Veja abaixo o comunicado na íntegra:

“Na sequência do comunicado enviado pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (“FPF”) relativo ao incidente verificado com o VAR no jogo FC Porto-Arouca, de dia 03/09/2023, vem a FUTEBOL CLUE DO PORTO – FUTEBOL SAD (“FC Porto”), esclarecer o seguinte:

  1. Não corresponde à verdade que a tomada elétrica disponível na zona de revisão do estádio não possuísse energia socorrida. Esta tomada possui fonte de alimentação UPS (Uninterrupted Power Supply).
  2. Para além da UPS, a própria tomada possui uma chave específica que garante que a mesma só é utilizada para o sistema VAR.
  3. Também não corresponde à verdade que a tomada em questão seja a única disponível na área de revisão do estádio. Junto desta existe um outro quadro elétrico com outra tomada disponível para utilização, conforme se pode verificar pela foto subsequente.
  4. Acresce, ainda, que não foram detetadas quaisquer falhas de energia no decorrer do jogo (antes, durante ou após o mesmo).
  5. A este propósito refira-se que obrigação do FC Porto se esgota na disponibilização de uma fonte de energia para que os técnicos da Altice, contratados pela FPF, aí conectem o cabo de alimentação destinado aos equipamentos do VAR, o que aconteceu, sendo que toda a responsabilidade de montagem do sistema e ligação de cabos é daqueles profissionais.
  6. Sucede que o referido cabo, conectado na origem à fonte de energia do estádio disponibilizada pelo FC Porto, não foi conectado aos equipamentos do VAR, levando a que o sistema tenha estado a funcionar suportado por baterias desde o início do jogo.
  7. Tal facto foi reconhecido pelos próprios técnicos da Altice quando substituíram o equipamento, tendo este passado a estar suportado pela energia do estádio.
  8. Por conseguinte, se não existiu qualquer falha de energia e se não foram rearmados quaisquer quadros elétricos, como se explica que o equipamento do VAR substituído não tivesse energia do estádio, mas o segundo equipamento já a tivesse? A energia não desaparece de um momento para o outro…

A conclusão é elementar: o cabo da Altice do primeiro equipamento do VAR, conectado na origem à fonte de energia do estádio, nunca esteve ligado no destino ao equipamento do VAR por erro técnico”, pode ler-se.

Veja também: Liga lança comunicado forte após polémica do VAR no FC Porto-Arouca

Deixe um comentário