Internacional

Ana Markovic: rejeita rótulo de ‘jogadora mais sexy’ e é inspiração para todos

Ana Markovic

Ana Markovic, a internacional croata e jogadora do Grasshoppers, esteve presente na Web Summit, onde abordou temas como redes sociais e futebol feminino. Com 2,9 milhões de seguidores no Instagram, Markovic é uma figura influente, mas rejeita ser rotulada como a “jogadora mais sexy do mundo” ou como mera influencer.

Veja também: Alto salário de Paulo Futre na TVI causa revolta: ‘É uma ofensa’

Nascida na Suíça, mas com raízes croatas, Markovic tem uma ligação especial a Portugal, onde o seu namorado, Tomás Ribeiro, joga pelo Vitória Guimarães. Esta ligação foi reforçada pela sua experiência vivida num jogo da Liga Betclic entre o Vitória e o Porto, onde sentiu o fervoroso ambiente do futebol português.

-

Durante a Web Summit, Markovic partilhou a sua paixão pelo futebol, uma paixão que a tem mantido motivada mesmo durante a recuperação de uma lesão grave. “Dou 150% do meu tempo ao desporto… sinto-me vazia sem o futebol“, confessou a jogadora.

A atleta croata destacou a importância de promover o futebol feminino, enfatizando que o apoio dos homens e das grandes estrelas do futebol é crucial para aumentar a visibilidade e o investimento no jogo feminino. “Temos as skills que os homens têm, mas não somos homens, jogamos da nossa forma”, afirmou, sublinhando a necessidade de reconhecer as particularidades do futebol feminino.

Veja também: A reação dura de Ronaldo a Fábio Paim que exigiu a sua Bola de Ouro

As redes sociais são uma ferramenta que Markovic utiliza para inspirar jovens jogadoras e promover um estilo de vida saudável. Apesar de reconhecer a responsabilidade que vem com uma grande base de seguidores, ela mantém uma postura autêntica e aberta, partilhando aspetos da sua vida pessoal, profissional e os desafios que enfrenta.

A jogadora também abordou a questão do sexismo e dos comentários inapropriados nas redes sociais. “Sofri, infelizmente sim”, admitiu, mas reagiu pedindo respeito e rejeitando ser reduzida a estereótipos baseados na aparência.

Interessante foi a revelação de Markovic sobre ter recusado uma proposta de um clube inglês que estava mais interessado na sua imagem nas redes sociais do que nas suas habilidades no campo. “Queria merecer ir para jogar e não ser usada nas redes sociais e estar sentada no banco“, explicou.

Veja também: Miguel Sousa Tavares: ‘Mais vale ser benfiquista do que governante’

Markovic também destacou a preparação das mulheres para o pós-futebol, muitas vezes mais previdente do que a dos homens, devido à disparidade salarial existente. Além de ser jogadora, ela é co-fundadora da reloadz, uma empresa de água proteica, mostrando que já está a preparar o seu futuro para além dos campos.

A jogadora croata, que sonha em jogar no Camp Nou, é um exemplo de determinação, talento e visão, mostrando que há muito mais no futebol feminino do que os estereótipos e clichês frequentemente associados a ele.

O Adeptos de Bancada já está no YouTube com vídeos imperdíveis! Vai ficar de fora? Junte-se ao nosso 11 e subscreva o nosso canal aqui!

Deixe um comentário