Nacional

Pinto da Costa e as eleições do Benfica: “Apareceu um dos hambúrgueres”

Pinto da Costa, após a reeleição como presidente do FC Porto

Na entrevista que concedeu à TVI, Pinto da Costa pronunciou-se sobre as eleições no Benfica.

“Há, parece que Vieira escolheu os candidatos. Qualquer indivíduo que queira ser presidente do Benfica a primeira coisa que tem de dizer é mal de mim. Nem os conheço, surgiu agora um dos hambúrgueres, o Noronha Lopes, meteu-se comigo, mas nem vi. Vou perder tempo? Os benfiquistas que sentem o Benfica… Só vão votar nele os que forem ao McDonalds, com meia dúzia de frases feitas. Foi uma boa candidatura para mostrar que dos tais comentadores independentes, vários estão nas listas do Benfica. Jaime Antunes está na lista de Vieira, mas é independente“, referiu.

Veja também: Ronaldo violou o protocolo em Itália? A resposta do ministro italiano

O líder dos azuis e brancos voltou a pronunciar-se sobre a integração de António Costa na comissão de honra da recandidatura de Luís Filipe Vieira.

Fez-me confusão não é o cidadão António Costa, mas o primeiro-ministro. Acho que não é possível dissociar. Se não fosse primeiro-ministro nenhum jornal o ia referir. O que teve impacto foi o primeiro-ministro António Costa. Tem direito a ser sócio e acionista da SAD, ninguém tem nada com isso, chocou-me o primeiro-ministro estar a apoiar um indivíduo – os processos não foram julgados – que toda a gente diz que deve milhões ao banco que está a ir aos bolsos de todos os portugueses“, referiu.

Veja também: Pinto da Costa sobre o Apito Dourado: “Suspeita é uma mancha negra?”

Pinto da Costa falou ainda sobre as relações entre Benfica e FC Porto. O presidente dos dragões fez questão de distinguir aquilo que são as relações institucionais entre os dois clubes e a sua relação pessoal com Vieira.

Uma coisa é as pessoas não se darem, outra é os interesses do futebol e dos clubes. Estivemos todos no Governo. Nas reuniões de presidentes, tratamos dos assuntos como eu trato com os presidentes do Sporting, do Belenenses ou do Braga. Tudo cara a cara. Antes de irmos ao Governo, estivemos reunidos na FPF e estivemos a falar e a traçar uma estratégia. Uma conversa normal. Quando os interesses do futebol estão acima do pessoal, temos de ter relação. Para lá disso não tenho relação com o presidente do Benfica. Só impossibilita que haja relação pessoal, entre as instituições tem de ser normal. Os sectores jurídicos têm reuniões, a parte comercial dos clubes também tratam assuntos em conjunto. Não confundam instituições, com Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira, esses não se dão. Nem se irão dar, isso é assunto fechado“, concluiu

Deixe uma resposta