Nacional

Nuno Santos reage ao facto de ser odiado pelos adeptos adversários

Nuno Santos, ala do Sporting

Na grande entrevista concedida ao diário desportivo A Bola, Nuno Santos foi confrontado com a má fama de que goza entre os adversários.

Veja também: O polémico gesto de Enzo antes do Braga-Benfica que obrigou Rui Costa a intervir

O ala do Sporting começou por confessar ser resmungão, mas que acima de tudo é competitivo.

Acho que sou um bocado resmungão, mas sempre no bom sentido, gosto de puxar o grupo para cima, muitas vezes dou duras aos miúdos, mas como forma de aprendizagem. Sou muito competitivo e é isso que faz com que muitos deles gostem de mim. Não gosto de perder em nada e eles picam-me muitas vezes no treino, em torneios, em exercícios de finalização. E gosto de ser assim. Porque não consigo perder e todos os grupos por onde passei diziam isso. Sou assim desde que comecei a jogar”, afirmou.

Quanto à forma como é visto pelos adversários, Nuno Santos não se mostra minimamente perturbado.

Espero que quem me deteste sejam os adeptos dos clubes adversários. O que é bom sinal. E que quem goste de mim seja do Sporting. Nunca me importo que os adeptos do clube adversário, contra quem vou jogar, não gostem de mim. Sinto que é bom sinal. Sou uma pessoa tranquila, mas dentro do campo não, pois vivo muito o futebol. É a minha maneira de ser e não gosto de perder em nada. É por isso que muitas vezes os adeptos adversários não gostam de mim”, referiu.

Veja também: Reação de Rui Pinto à ida de Ronaldo para o Al Nassr dá que falar

Sobre a Seleção Nacional, o jogador confessou que acalentou a esperança de marcar presença entre os eleitos de Fernando Santos para o Mundial 2022.

Obviamente que sonhava estar lá. Quando saiu a lista dos 55, pensei que poderia ser um dos convocados como qualquer um dos outros que também lá estava. Como já disse, sou um jogador muito ambicioso, nunca perdi essa esperança e acreditava que seria um dos escolhidos“, disse.

Questionado sobre a ausência de jogadores do Sporting da convocatória, Nuno Santos garante que não causou impacto negativo na equipa.

Não sentimos nada. Foram escolhas que tiveram de ser feitas naquela altura. O selecionador escolheu assim e tivemos de encaixar isso de forma natural e continuar a trabalhar de forma afincada para novas oportunidades“, concluiu.

Veja também: Sonho de Bernardo Silva de jogar no Benfica complica-se: ‘Prefiro nem ir’

Deixe uma resposta