Internacional

Inter interrompe reinado da Juventus e sagra-se campeão de Itália

Inter de Milão campeão de Itália

O Inter Milão, de Antonio Conte, recuperou este domingo o estatuto de campeão italiano de futebol, que não ostentava desde a ‘era’ José Mourinho, na sequência de um notável percurso que até teve uma entrada em falso.

Veja também: Marega vai mesmo deixar o FC Porto pelo contrato da sua vida: 20M€

Após nove títulos da Juventus, os dois últimos com Cristiano Ronaldo, o Internazionale chega ao 19.º cetro, deixando para trás os 18 do AC Milan, ainda com quatro jornadas por disputar, graças ao empate (1-1) da Atalanta em Sassuolo, na ronda 34.

Num título que tem muito de Antonio Conte, que chega ao seu quinto cetro nacional, depois de três pela ‘Juve’ (2011/14) e um em Inglaterra, ao serviço do Chelsea (2016/17), o Inter só atingiu a liderança na segunda volta, que arrancou com 11 vitórias.

Depois de subir ao poleiro, os ‘nerazzurri’ foram implacáveis, começando a aumentar a vantagem para a concorrência, que ultrapassou os 10 pontos ainda com 10 jornadas por disputar, margem que deixou, praticamente, o título sentenciado.

Veja também: PSG avança por Ronaldo e a Juventus já informou o preço

O belga Romelu Lukaku (21 golos), com a sua irresistível potência, e o argentino Lautaro Martínez (15), outro ‘gladiador’, foram a face mais visível do sucesso do Inter, que, no entanto, valeu muito mais pelo coletivo do que do individual.

O guarda-redes Handanovic, muito bem guardado pelos centrais De Vrij, Skriniar e Bastoni, deram grande estabilidade defensiva ao ‘3-5-2’ de Conte, no qual também foram essências Hakimi, Barella ou Brozovic, quase sempre titulares.

O Inter contou igualmente com a contribuição de uma série de ‘estrelas’, que, menos constantes, desempenharam igualmente papeis importantes, como Perisic, Vidal, Eriksen, Alexis Sánchez ou Ashley Young, mais os menos ‘cotados’ Darmian ou Gagliardini.

Veja também: Sporting volta a provocar Pinto da Costa após vitória contra o Nacional

Todos juntos, inviabilizaram o 10.º título consecutivo da Juventus e recolocaram o Inter na lista dos campeões, no primeiro cetro depois dos cinco consecutivos conquistados entre 2005/06 e 2009/10, os dois últimos sob o comando de José Mourinho.

Este título tem, porém, outro sabor, já que, esse ‘penta’ começou com um título na ‘secretaria’, face à ‘batota’ da Juventus, que, depois, foi relegada para a Serie B, situação que o Internazionale aproveitou para ‘reinar’.

O título 19 é incontestável, mas o Inter começou mal e, com nove pontos perdidos, era apenas sétimo à sétima ronda, seguindo, então, a cinco pontos do vizinho e rival AC Milan, que acabaria por ser o seu principal adversário na corrida ao ‘scudetto’.

Veja também: Octávio Lopes critica FC Porto e revela perseguição com caçadeira (Vídeo)

Depois desse início complicado, em que teve de jogar com Lazio (1-1), AC Milan (1-2) e Atalanta (1-1), o Inter encarrilou oito vitórias consecutivas e, à 15.ª ronda, já era segundo classificado, a um ponto dos ‘rossoneri’.

A parte final da primeira volta não correu bem, sendo exceção, entre dois empates e uma derrota, um triunfo claro por 2-0 na receção à Juventus, como que a marcar posição. Apesar destes percalços, o AC Milan só seguia dois pontos à frente, a meio.

Nova volta, nova vida para o Inter Milão, que após três triunfos consecutivos, um deles na receção à Lazio (3-1), assumiu pela primeira vez a liderança, à 22.ª jornada, enquanto o rival milanês e os ‘bianconeri’ entravam em sentido inverso e começavam a claudicar, abrindo caminho para a ‘fuga’ dos interistas.

Veja também: Peixeirada em direto entre Octávio Machado e Fernando Mendes (VÍDEO)

O ‘onze’ de Antonio Conte assumiu o primeiro lugar precisamente nas vésperas de defrontar o AC Milan, que, depois, venceu por claros 3-0, com um ‘bis’ de Lautaro e um tento de Lukaku, afirmando-se como o principal favorito ao ‘scudetto’.

A formação ‘nerazzurri’ estava, definitivamente, lançada e chegou até às 11 vitórias consecutivas, ciclo – que incluiu um difícil 1-0 à Atalanta – após o qual somava mais 11 pontos do que os rivais da cidade, com apenas oito rondas por disputar.

Os novos campeões ainda cederam dois empates consecutivos, nos redutos de Nápoles (1-1) e Spezia (1-1), mas estavam já em ‘velocidade de cruzeiro’ rumo a um título que há muito parecia inevitável e ficou hoje sentenciado em termos matemáticos.

Veja também: Mulher de Manafá insulta com tudo os adeptos do FC Porto: “Vão-se f*der”

Fonte: LUSA

Deixe uma resposta

Por favor desactive o seu adblocker ou coloque-nos na sua  lista de sites permitidos.

Muito obrigado!

Please disable your adblocker or whitelist this site!

Thank You!