Nacional

Homenagem arrepiante de Pinto da Costa a Fernando Gomes: ‘Não foi o último abraço’

Pinto da Costa e Fernando Gomes

Pinto da Costa dedicou o seu espaço editorial da revista Dragões deste mês de dezembro a Fernando Gomes, lenda do FC Porto que faleceu recentemente.

Veja também: Ronaldo está a treinar com o Real Madrid – ÚLTIMA HORA

O presidente dos azuis e brancos destaca os feitos do Bibota ao longo da sua carreira e recordou três sentidos abraços, o último dos quais o mais doloroso.

Veja o texto na íntegra:

“Até sempre, Fernando!

Hoje escrevo para recordar um grande símbolo do FC Porto – Fernando Gomes – que partiu e nos deixou a todos mais pobres, cheios de saudades.

A sua carreira, todos conhecem. Cinco vezes campeão nacional e vencedor de três Taças de Portugal, três Supertaças, uma Taça dos Campeões Europeus, uma Taça Intercontinental e uma Supertaça Europeia.

Individualmente, conquistou por duas vezes o troféu de melhor marcador europeu, a Bota de Ouro.

Fantástico!

Mas do que sinto mesmo falta é do seu convívio. Foram dezenas de anos a viver e a conviver com uma paixão comum – o FC Porto.

Recordarei sempre os seus golos, as suas vitórias e os seus exuberantes festejos.

Trocámos centenas de abraços em momentos felizes. Mas há três que recordo e nunca esquecerei:

  • O primeiro, quando, em 1982, depois da minha eleição como Presidente do nosso Clube, me desloquei a Gijón para o fazer regressar ao seu clube de coração. Quando, depois de negociar com o Presidente do Sporting de Gijón, nos encontrámos, disse-me: “Então quer mesmo que eu volte? Nem posso acreditar!”. E seguiu-se um abraço prolongado;
  • O segundo foi quando o convidei para fazer parte da minha atual Direção. À sua declaração “É um sonho que nunca acreditei ser realizável”, seguiu-se um forte abraço;
  • O terceiro e último abraço foi o mais doloroso da minha vida. O Fernando já não recebia visitas, mas insistia com a sua mulher, a sua querida Xana, para que o visitasse. Autorizado pelo seu médico, desloquei-me ao hospital onde se encontrava. Trocámos opiniões sobre a formação do FC Porto, de que era responsável, e da vida do Clube em geral.

Cerca de vinte minutos depois do início da nossa conversa, perfeitamente lúcido, mas muito cansado, quando nos despedíamos, pediu à sua Xana, que o ajudasse a levantar. Admirada, ela perguntou-lhe: “Queres ir ao quarto de banho?”. E o Fernando respondeu-lhe: “Quero dar um abraço ao Presidente”. Assim trocámos o nosso último abraço.

Um mês depois deixou-nos. Não foi o último abraço, Fernando! Foi o penúltimo, pois um dia estarei junto de ti, para te abraçar com toda a amizade com que vivemos 46 anos. Até sempre, Fernando!“, escreveu.

Veja também: Tensão como nunca se viu entre Ronaldo e Jorge Mendes

Deixe uma resposta