Nacional

Conceição: “Motivar os jogadores? Se for preciso faço o pino ou dispo-me”

Sérgio Conceição em antevisão de um jogo do FC Porto

Na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Gil Vicente, Sérgio Conceição voltou a abordar a eliminação do FC Porto da Taça de Portugal.

Veja também: Futre chora em direto e diz com orgulho: “Sou português cara***” (VÍDEO)

O técnico dos azuis e brancos comentou a atitude dos jogadores.

A confiança é total em toda a gente, mas há jogadores que acabam a época com mais minutos do que outros. Não vou ser politicamente correto porque não é assim. O que eu faço não é qualquer tipo de gestão, somos o FC Porto e queremos ser competitivos em todas as competições, mas tem havido uma carga competitiva acima do normal, pouco tempo de férias… Tudo tem o seu reflexo num plantel, todos sofreram não apenas o FC Porto. Se olharmos para trás, há cinco ou sete anos, os jogadores que jogavam em Portugal hoje estão em alguns dos melhores campeonatos do Mundo. O jogo da Taça foi muito mau para nós. Estive até às 3 da manhã a picar o jogo todo, quero discutir isso com os jogadores, é um jogo que não é para esquecer, é para lembrar. Olhar bem para as imagens, picar o jogo da melhor forma e mostrar aos jogadores. Não é possível cometer os erros que cometemos. Fico muito aziado se faltar algum tipo de atitude aos jogadores, não só no futebol como na vida, quando falta isso falta tudo. Muitas vezes não é que eles não queiram, eu tenho de os motivar, se tiver de fazer o pino ou me despir… Quero que eles entrem bem. Tentamos ser o mais competitivos possível”, afirmou.

Veja também: João Félix fartou-se e quer bater com a porta do Atlético de Madrid

Conceição garante que assume a responsabilidade do sucedido e já trabalha com os jogadores para que os mesmos erros não se voltem a repetir.

“Temos de olhar para o momento e para o jogos, para a diferença como a equipa e para as coisas positivas. Sem puxar dos galões. Nestes 3 anos e meio de Taça, 26 jogos, 24 vitórias. Há que refletir, trabalhar em cima dos erros individuais e coletivos da equipa e olhar para o próximo jogo para fazer melhor do que fizemos anteriormente. Olhar para as lacunas, com maturidade, sabendo a responsabilidade de cada um aqui dentro. Como treinador, assumirei a responsabilidade, sou assim por natureza, estou habituado. Dentro do mau momento não podemos esquecer o que estes jogadores fizeram. Custa-nos ser eliminados, seja Taça da Liga, de Portugal ou de barro, gosto de ganhar! Somos muito competitivos, às vezes o adversário tem mérito, não podemos esquecer que o Braga tem mérito”, referiu.

Veja também: Ronaldo o que mais teme sobre o futuro de Cristianinho

O técnico dos dragões rejeita a desculpa do cansaço, devido ao calendário infernal a que equipa está submetida.

Nesta época em que se fala tanto em Covid, esse cansaço mental para mim não existe. Cansaço mental têm as pessoas que estão doentes, tanta gente com dificuldades para pagar contas, para comer… Aí é preciso força mental e uma atitude muito grande na vida. Agora nós? No futebol? Treinadores e jogadores? Pessoas que aparecem todos os dias na TV? Que têm o privilégio de fazer o que gostam e ainda por cima são bem pagos? Tenho dificuldade em entender esse cansaço mental. Temos um autocarro com todo o conforto, ficamos em hotéis top, estamos num clube que merece todo o respeito do mundo, que nos permite estar na melhor competição de clubes do Mundo. Cansaço físico existe. O Pepe jogou debilitado, fisicamente é terrível. É um campeonato anormal, temos de superar isso e aí entram os tais jogadores que não têm tantos minutos e que têm de dar uma boa resposta”, concluiu.

Deixe uma resposta

Por favor desactive o seu adblocker ou coloque-nos na sua  lista de sites permitidos.

Muito obrigado!

Please disable your adblocker or whitelist this site!

Thank You!