Nacional

Conceição: Dos elogios a Pepe ao puxa-saco a Pinto da Costa

Sérgio Conceição em antevisão de um jogo do FC Porto

Sérgio Conceição foi questionado sobre quem teria a capacidade de fazer o papel de Pepe em campo, dado os problemas físicos que têm afetado o central portista.

Veja também: Espanhóis revelam se Ronaldo está de saída da Seleção Nacional

O técnico do FC Porto aponta o seu capitão como um exemplo a seguir, tecendo rasgados elogios.

Agora temos de despir o fato da gala [dos Dragões de Ouro]. Não podemos entrar em campo de pijama, para não entrarmos a dormir. Tem de ser de fato de macaco, depois depende de cada um. Isto é muito bonito, mas amanhã quem nos aplaudiu pode assobiar. O Pepe é um jogador que continua muitíssimo forte naquilo que faz porque é super competitivo. O que é ser isso? É ter sempre uma ambição muito grande e trabalhar de uma forma muito profissional. Para além disso, ele é um profissional fora de campo, cuida-se e está disponível a todos os níveis. Ele representa bem o balneário do FC Porto. Alguns também já representam esses valores e quem não tem esse espírito tem de o aprender, se não a vida fica-lhes difícil“, afirmou na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Gil Vicente, a contar para os quartos de final da Taça da Liga.

Veja também: O aviso de Félix aos portugueses após saída de Fernando Santos

Conceição abordou ainda as entradas do FC Porto nas partidas, onde tem demonstrado dificuldades em marcar.

“A imagem… É verdade que por uma razão ou outra as primeiras partes têm sido diferentes das segundas, mas nós entrámos bem nos jogos. O Toni marcou logo a abrir porque entrámos vivos, o aquecimento foi bom, alertámos jogadores para tudo o que podem ser as incidências o jogo, queremos que estejam vivos, focados… Depois há mérito dos adversários, mais frescos, nos somos uma equipa muito intensa que cansa os adversários. Não quer dizer que há falta de vontade de ganhar o jogo no primeiro, 20º ou ultimo minuto, a vontade é sempre a mesma. Posso confidenciar que não foi tanto culpa dos jogadores, mas sim algum mérito do Vizela e algum demérito meu por não ter alertado os jogadores par algumas situações. Não acho que seja um comportamento padrão, não entrar bem. A equipa entra muitas vezes forte no jogo e continua forte no jogo, o que provoca algum desgaste nos adversários. Aproveitamos isso dentro do nosso jogo. Criamos muitas situações, o que espero”, referiu.

Veja também: Amorim goza com jornalista da CMTV após questão sobre Ronaldo (VÍDEO)

Por último, o técnico azul e branco foi confrontado com as palavras de Pinto da Costa, que referiu que o Dragão de Ouro que havia conquistado na noite anterior não seria o último.

“Não sei o que o presidente quis dizer. Não sei o que ele quis dizer. Sei é que continua numa forma excelente, discurso fantástico, como nos habituou nestes estes anos todos. E uma vitalidade enorme, não só o presidente. Ontem foi uma demonstração que o clube está bem e é assim que queremos que esteja durante muitos anos. Vocês sabem a relação que tenho com o presidente, é mais de irmão, amizade grande, mas isso não interfere nada naquilo que sou como treinador. Tive a oportunidade de dizer no final da festa, não é que seja muito de festas, mas tive a oportunidade de usufruir e desfrutar de uma figura única no futebol mundial. Não damos o devido valor ao que o presidente fez pelo clube, pela região. Só daqui a alguns anos é que vão dar, se calhar. Um dirigente único e depois desta puxadela de saco que dei [risos], é o meu sentimento verdadeiro. Foi uma festa bonita, clube que está bem, um bom momento após quatro anos de sacrifício, que está bem a nível de títulos, na Europa conseguimos estar presentes em fases adiantadas da Liga dos Campeões e é assim que queremos continuar. Amanhã é mais um passo para conseguirmos estar nesta final-four. Com seriedade e vontade do mundo para ganhar”, concluiu.

Deixe uma resposta