Nacional

Benfica: “A verdade desportiva não tem sido defendida”

Jogadores do Benfica festejam golo na vitória sobre o Vilafranquense, na Taça de Portugal

O Benfica usou da sua newsletter para reclamar uma grande penalidade que ficou por assinalar no desaire com o Farense. O lance em causa envolve Rafa e Eduardo Mancha.

Veja também: Rodolfo Reis arrasa Vieira em bate-boca com Calado (VÍDEO)

Neste sentido os encarnados exigem que sejam reveladas as comunicações e as imagens das partidas com o Moreirense e Farense, para garantir transparência.

É urgente serem conhecidas as comunicações e imagens mostradas nos jogos em que defrontámos Moreirense e Farense. Se o VAR veio para melhorar o futebol, então que se demonstre que tal acontece, começando pela transparência“, pode ler-se na News Benfica.

Veja também: “Admite não terminar a época?” A resposta de Jorge Jesus (VÍDEO)

As águias questionam o motivo de tantos erros no que diz respeito a grandes penalidades a seu favor.

“Independentemente da avaliação que se possa fazer ao percurso da nossa equipa, não se compreende a sucessão de lances suscetíveis de marcação de grande penalidade a nosso favor decididos erradamente pelas equipas de arbitragem.

Muito menos num tempo em que se dispõe de uma ferramenta, o vídeoárbitro, concebida com o propósito da defesa da verdade desportiva. Infelizmente, do que nos tem sido dado a observar, torna-se óbvio que a verdade desportiva não tem sido defendida“.

Veja também: Bruno Fernandes pegado com adversário e teve de ser separado (VÍDEO)

Veja abaixo a mensagem na íntegra:

“É urgente serem conhecidas as comunicações e imagens mostradas nos jogos em que defrontámos Moreirense e Farense. Se o VAR veio para melhorar o futebol, então que se demonstre que tal acontece, começando pela transparência.

Mais uma vez, foi-nos sonegada uma grande penalidade evidente, desta feita num lance faltoso sobre Rafa. A ser convertida, ter-nos-íamos adiantado no marcador e a história do jogo seria diferente.

A equipa fez mais do que suficiente para vencer em Faro. Esteve organizada, foi pressionante e dispôs de oportunidades de golo em quantidade e qualidade que justificariam o triunfo. E foi, novamente, prejudicada pela equipa de arbitragem.

Tudo isto contribuiu para a ansiedade e intranquilidade crescentes no seio da equipa, derivadas não só da classificação atual, mas também do desenrolar do jogo, em que ao desalento por não conseguir transformar em golos as boas ocasiões criadas, acresceu a frustração por se sentir prejudicada por sucessivos erros de arbitragem.

O lance de falta evidente sobre Rafa na área do Farense foi precedido por diversas situações de golo iminentes aos 19, 25 e 27 minutos, só para referir as mais evidentes. E a toada do jogo manteve-se, com desperdício de oportunidades claras aos 38 e 45 minutos da primeira parte. No segundo tempo, Pizzi chutou ao poste e outras jogadas houve que, com um pouco mais de clarividência e pontaria, poderiam ter resultado em golo.

A falta de eficácia tem sido prejudicial à nossa equipa ao longo da época, tornando-se mais evidente nas últimas partidas, em que se notou, apesar dos resultados aquém do desejado, um incremento qualitativo a nível exibicional, o que não surpreende visto que se regressou a uma situação de normalidade após os muitos casos de Covid detetados no plantel.

Independentemente da avaliação que se possa fazer ao percurso da nossa equipa, não se compreende a sucessão de lances suscetíveis de marcação de grande penalidade a nosso favor decididos erradamente pelas equipas de arbitragem.

Muito menos num tempo em que se dispõe de uma ferramenta, o vídeoárbitro, concebida com o propósito da defesa da verdade desportiva. Infelizmente, do que nos tem sido dado a observar, torna-se óbvio que a verdade desportiva não tem sido defendida”

Deixe uma resposta

Por favor desactive o seu adblocker ou coloque-nos na sua  lista de sites permitidos.

Muito obrigado!

Please disable your adblocker or whitelist this site!

Thank You!